Quarta-feira, 17 de outubro de 2018 -
Agronegócio

Barra Direto com Agro Olhar

10/05/2017 17:50:00

Cai para 10 o número de países que barram carne e Maggi desabafa: achei que a vaca tinha ido para o brejo

Cerca de dois meses após a deflagração da Operação Carne Fraca o mercado das exportações começa a retomar a confiança de países que ainda mantém embargos à carne brasileira. Segundo o ministro da Agricultura, Blairo Maggi (PP), caiu para dez o número de países que ainda estão com suspensão. Passada a fase mais crítica, o ministro fez um desabafo sobre o período turbulento vivido com o mercado internacional. “Eu achei que a vaca tinha ido para o brejo”, disse.

“Este foi um assunto que nos pegou absolutamente de surpresa, nós não tínhamos o mínimo conhecimento dessa operação, mas no momento que nós soubemos – e ninguém está aqui para julgar a atuação da Polícia Federal – naquele momento inicial eu confesso que achei, como diz a expressão, que a vaca tinha ido para o brejo com a corda e a estaca junto”, revelou o ministro, com bom humor, durante o lançamento da 12ª edição do Circuito Aprosoja, em Cuiabá.

Sem revelar quais países ainda impõem r
estrições comerciais ao produto brasileiro, Maggi disse que o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) entra agora em uma nova fase de resgatar a confiança dos países que, mesmo tendo voltado a comprar do Brasil, ainda estão temerosos.

No dia 24 de abril o Mapa havia divulgado uma lista com 15 países que ainda mantinham suspensão total para embarques de carnes bovinas, suínas e de aves, além de embutidos, Argélia, Iraque, Bahrein, Congo, Antígua e Barbuda, Moçambique, Guiana, Santa Lúcia, Suriname, Trinidad e Tobago, Vietnã, Zimbábue, São Vicente e Granadinas, Albânia e São Cristóvão e Névis.

Um dia depois, o Ministério divulgou que os países do Caribe deveriam suspender as restrições até o fim do mês de maio.

“Pela primeira vez eu vi no Brasil um momento de união de todas as forças internas do Governo, as vaidades foram deixadas de lado, ninguém ficou discutindo, as coisas seguiram o rumo e a gente conseguiu reverter aquele problema”, desabafou o ministro.

Comentar

ATENÇÃO! Os comentários são moderados pelo administrador do site.

(Todos os campos são obrigatório. Seu e-mail não será divulgado.)

Nome: E-mail: Comentário:
Restam caracteres.

Comentário(s) desta notícia

Não há comentários

Seja o primeiro a comentar esta matéria.