Quinta-feira, 18 de outubro de 2018 -
Polícia

Barra Direto com Semana 7 / FERNANDO LINO/DA REDAçãO

29/05/2017 17:14:00

Barra do Garças registra 20 casos de estupro

Dados da Dedm revelam que não houve queda nas estatísticas

A Delegacia Especializada de Defesa da Mulher - (Dedm), registrou 20 casos de estupro no município de Barra do Garças nos últimos cinco meses. O Delegado da (Dedm), Heródoto Souza Fontenelle, informa que a cidade mantém os mesmos índices registrados se comparado ao mesmo período do ano passado.

A maioria das denúncias são provenientes do disque 100, da Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República. O atendimento do disque 100 é integrado com a Delegacia no município e assim, a vítima recebe a atenção necessária.

Os motivos

A ausência da educação familiar, pode comprometer a formação do caráter do indivíduo, causando desajustes familiares e por consequência a violência sexual. Além disso, rixas, dívidas relacionadas ao tráfico de drogas, também fomentam o estupro. Na maioria dos casos notificados, adolescentes menores de 14 anos são as maiores vítimas. Segundo Fontenelle, o isolamento e a mudança comportamental são sintomas

“A Violência doméstica é gradativa. Começa com desrespeitos, ameaças, agressões físicas, pode até culminar na morte da mulher”, argumenta a delegada Juliana Palhares, da Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP).

O crime sexual atinge todas as classes sociais. A classe social que mais apresenta índices de agressão é a classe média baixa, a classe média alta prefere, na maioria das vezes, o anonimato.

O agressor

Segundo Fontenelle, a delegacia tem o cuidado de acompanhar o agressor com tratamento adequado, através de psicólogos e assistentes sociais, a fim de evitar que ele volte a cometer o crime. “Muitas vezes o agressor de hoje também foi vítima no passado”. Em muitos casos, idosos são agressores sexuais, em Julho do ano passado um caso foi registrado em Barra do Garças.

Delegado Fontenelle concedendo entrevista ao Semana. (Foto: Fernando Lino)

Existem, entretanto, agressores sexuais que apresentam patologia psicológica e que, portanto, trazem consigo a necessidade de tratamento, independentemente de ter passado por agressão.

Terapias de grupo são oferecidas ao agressor pelo programa de reabilitação do Poder Judiciário de Barra do Garças. Débora Siqueira, da Secretaria Estadual de Segurança Pública - Mato Grosso informa que: “Os casos de reincidências dos agressores em Barra do Garças não ultrapassam 3%, enquanto a média nacional é de 10%”.

Estado

Mato Grosso é o estado brasileiro com um dos maiores índices em estupro do país. No ranking nacional o estado ocupa o terceiro lugar.

Segundo a Secretaria de Estado de Segurança Pública (Sesp) vinte e quatro mulheres foram assassinadas nos primeiros quatro meses deste ano em Mato Grosso. O total de ocorrências de Violência ou Discriminação contra a Mulher ainda é o maior do país somando um total de 2008 casos só em 2016. (Edição: Raoni de Sá)

Comentar

ATENÇÃO! Os comentários são moderados pelo administrador do site.

(Todos os campos são obrigatório. Seu e-mail não será divulgado.)

Nome: E-mail: Comentário:
Restam caracteres.

Comentário(s) desta notícia

Não há comentários

Seja o primeiro a comentar esta matéria.