Quarta-feira, 17 de outubro de 2018 -
Justiça

Semana 7 / FERNANDO LINO

21/06/2017 21:49:00

Descaso no Terminal Rodoviário de Barra do Garças é investigado pelo MP

Turistas e funcionários têm que conviver com o mau cheiro de banheiros e problemas estruturais

Reprodução

Turistas de todas as partes do país são atraídos pelas belezas naturais de Barra do Garças e visitam a cidade que está em plena temporada de praia, mas usar o Terminal Rodoviário Lídio Pereira da Silva é um desafio para muitos.

A administração do terminal tem a obrigação de manter o local em perfeitas condições de uso. Porém um relatório desenvolvido por uma comissão de vereadores da cidade, apontam vinte e sete irregularidades.

O relatório apresenta problemas estruturais e administrativos. As irregularidades apontadas são referentes a instalação elétrica, estrutura física inadequada para tráfego de passageiros e de portadores de necessidades especiais, área inadequada para taxistas e moto taxistas, ausência de posto policial, falta de extintores de incêndio, ausência de rede Wi-fi, não há organização do trânsito com as devidas sinalizações, dificultando o tráfego e tornando arriscada a entrada e saída de veículos. Por fim, os banheiros não funcionam corretamente.

Este relatório de visita parlamentar foi realizado pelos vereadores, Júlio César Gomes dos Santos (PSDB), Gustavo Nolasco (PSL) e o vereador Gabriel Pereira Lopes, o Zé Gota (PRB). No dia 14 de março foram solicitadas intervenções imediatas no prédio. Contudo nada foi feito até a presente data. Por isso a reclamação foi encaminhada para o Ministério Público Estadual pelo vereador Júlio César para que fossem tomadas as devidas providências.

Em resposta, no dia 18 de maio, o promotor Paulo Henrique Amaral Motta da 1ª Promotoria de Justiça Cível de Barra do Garças, resolveu instaurar inquérito civil e autuar a Prefeitura Municipal para tomar providências e apurar, “possíveis irregularidades nas condições sanitárias, estruturais e de saúde impostas aos usuários e trabalhadores do Terminal Rodoviário” diz o documento disponível no site do Ministério Público que concedeu 10 dias úteis para fossem prestadas informações e providências sobre o caso. O prazo já venceu há 12 dias úteis e ainda nada foi feito.

Segundo o vereador Júlio César: “A comissão mandou alguns ofícios para a prefeitura, mas sem resposta. A taxa de embarque custa R$ 4,70 e os usuários estão reclamando que esse dinheiro deveria ser revertido para essas manutenções. Existem empresas que arrecadam cerca de R$ 17 mil por mês com a taxa de embarque”.

Um passageiro que não quis se identificar, disse que usa a rodoviária com frequência e que sempre tem que esperar pelo ônibus em meio às cadeiras quebradas e o banheiro sujo e com defeito. “Não entendo porque tenho que pagar a taxa de embarque e ainda pagar para usar o banheiro. Porque um banheiro é bem cuidado, enquanto o outro não?” indagou o usuário do transporte.

No terminal existem dois banheiros, um deles, (o mais limpo e estruturado), cobra taxa de R$2,50 a R$7,00 (dependendo do uso), obrigando o usuário a uma situação de exposição e constrangimento. A Lanchonete funciona das 6h00 até as 23h00. Passageiros que precisam da lanchonete durante a madrugada não tem outra opção.

Até o fechamento desta matéria não foi informado qual é a empresa responsável pela prestação de serviços no local.  

 

Comentar

ATENÇÃO! Os comentários são moderados pelo administrador do site.

(Todos os campos são obrigatório. Seu e-mail não será divulgado.)

Nome: E-mail: Comentário:
Restam caracteres.

Comentário(s) desta notícia

Não há comentários

Seja o primeiro a comentar esta matéria.