Quarta-feira, 17 de outubro de 2018 -
Política

Mídia News / VINíCIUS LEMOS

28/08/2017 16:00:00

Garcia é acusado de simular doação de combustível de R$ 2,7 mi

Parlamentar, no entanto, negou as acusações e criticou o ex-governador de Mato Grosso.

Alair Ribeiro/MidiaNews

Fábio Garcia teria liderado esquema que simulou doação de diesel; parlamentar nega.

O deputado federal Fábio Garcia (PSB) foi acusado de ser o responsável por organizar um esquema de doação simulada de óleo diesel que teria desviado, aproximadamente, R$ 2,7 milhões dos cofres públicos de Mato Grosso.

A acusação está na delação premiada do ex-governador Silval Barbosa (PMDB), firmada com o Ministério Público Federal (MPF) e homologada pelo Supremo Tribunal Federal (STF).

Garcia negou as acusações do ex-chefe do Executivo estadual e disse que não praticou nenhuma irregularidade (leia abaixo).

De acordo com Silval, o deputado Fábio Garcia, então diretor da termelétrica Pantanal Energia, teria elaborado um esquema de doação falsa de óleo diesel para o Estado. O parlamentar teria contado com a ajuda do então secretário de Estado Pedro Nadaf - também delator.

O suposto esquema criminoso liderado por Garcia teria ocorrido no ano de 2012 ou de 2013, quando a Petrobras assinou convênio de arrendamento da termelétrica Pantanal Energia. Conforme o ex-governador, logo após o acordo, a empresa de Mato Grosso simulou uma doação de diesel para o Estado.

Essa doação simulada para o Estado foi feita para dar baixa do óleo diesel, pois a empresa iria voltar a funcionar a gás
Os beneficiados pelo esquema criminoso teriam sido o parlamentar, o ex-governador e o ex-secretário Pedro Nadaf, que teriam dividido entre si o valor desviado dos cofres públicos.

“Essa doação simulada para o Estado foi feita para dar baixa do óleo diesel, pois a empresa iria voltar a funcionar a gás, mas sabe que Pedro Nadaf e Fábio Garcia venderam o óleo diesel, sendo que com o valor da venda dividiram em três partes, uma ao colaborador, uma para Fabio Garcia e outra para Pedro Nadaf”, diz trecho do depoimento.

Ainda segundo o peemedebista, o óleo diesel que seria doado ao Estado pela Pantanal Energia, conforme havia sido acordado no convênio, nunca foi entregue.

Outro lado

Por meio de comunicado, o deputado Fábio Garcia se defendeu das declarações de Silval Barbosa e as classificou como “mentirosas e levianas”.

Ele garantiu que não simulou nenhuma operação, nem praticou nenhuma irregularidade junto ao governo do Estado enquanto liderou a Pantanal Energia, “tampouco houve recebimento de qualquer vantagem pela empresa ou seu diretor”.

“A Pantanal Energia cumpriu integralmente o contrato pactuado com o Estado. É lamentável que Silval Barbosa recorra a calúnia e acuse sem provas para obter benefícios do Ministério Publico Federal”, afirmou o parlamentar.

A delação

Em sua colaboração premiada com a Procuradoria Geral da República, o ex-governador narrou 56 fatos envolvendo corrupção nos últimos anos. Entre as acusações, ele aponta o pagamento de propina a deputados e conselheiros.

Em um dos anexos, há, inclusive, vídeos em que deputados estaduais da legislatura passada são flagrados recebendo maços de dinheiro de seu ex-chefe de gabinete, Silvio César Correa Araújo.

Comentar

ATENÇÃO! Os comentários são moderados pelo administrador do site.

(Todos os campos são obrigatório. Seu e-mail não será divulgado.)

Nome: E-mail: Comentário:
Restam caracteres.

Comentário(s) desta notícia

Não há comentários

Seja o primeiro a comentar esta matéria.