Terça-feira, 11 de dezembro de 2018 -
Polícia

G1 MT

30/11/2018 17:49:00

Dono de bar é morto a tiros após briga em MT e 2 PMs suspeitos de envolvimento são presos

G1 MT

O proprietário de um bar foi assassinado a tiros na madrugada desta sexta-feira (30) no Bairro Jardim Potiguar, em Várzea Grande, região metropolitana de Cuiabá. Segundo a Polícia Militar, houve uma briga no estabelecimento e dois policiais militares que estavam no local, como clientes, foram presos.

De acordo com o comando da PM em Várzea Grande, um dos policiais foi empurrado durante a confusão e fez um disparo. O tiro atingiu e matou Claudinei Pereira Mota, de 42 anos, dono do bar.]

Um dos policiais presos é Robson de Souza Ferreira, de 37 anos, que é cabo da PM em Barra do Garças, a 516 km de Cuiabá. O outro policial é o cabo Arnaldo Jacob Müchel, de 37 anos, que atua no 1º Batalhão da Polícia Militar em Cuiabá.

O G1 tenta localizar o advogado deles.

O crime ocorreu às 3h30 (horário de Mato Grosso) depois que a polícia foi informada sobre uma briga e troca de tiros no Bar Mandala, no Bairro Jardim Potiguar.

A Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) conversou com os dois policiais. Eles afirmaram que estavam no bar e, em certo momento, se desentenderam com uma pessoa na frente do estabelecimento. No entanto, não há informações se a pessoa era Claudinei.
Robson e Arnaldo saíram do bar correndo a pé e foram abordados por uma equipe da PM. Eles resistiram à abordagem, tentaram atirar contra os próprios colegas e acabaram baleados.

O primeiro foi baleado na perna direita e o segundo na perna esquerda. Somente depois de serem baleados eles se identificaram como policiais militares.

Os dois foram socorridos ao Pronto-Socorro Municipal de Várzea Grande (PSMVG). Claudinei foi socorrido por testemunhas e morreu no mesmo hospital. Dois revólveres que estavam com os policiais foram apreendidos.
A DHPP informou que fez a liberação do corpo de Claudinei no PSMVG durante a madrugada.

Segundo prontuário médico, ele deu entrada na unidade com o quadro de ferimento provocado por projétil de arma de fogo no hemitórax direito.

Ainda segundo o prontuário foram realizados procedimentos para a reanimação por mais de 30 minutos, porém, a vítima não reagiu e foi constatado o óbito.

O caso será apurado pela Polícia Civil, por meio da DHPP. A conduta dos policiais será investigada pela Corregedoria da PM.

Comentar

ATENÇÃO! Os comentários são moderados pelo administrador do site.

(Todos os campos são obrigatório. Seu e-mail não será divulgado.)

Nome: E-mail: Comentário:
Restam caracteres.

Comentário(s) desta notícia

Não há comentários

Seja o primeiro a comentar esta matéria.